Tensões de linha e fase de carga ESTRELA

Neste post falaremos da carga estrela, também chamada de carga ípsilon (Y), onde as cargas estão ligadas formando uma estrela com um ponto central, como mostra a figura abaixo.

Tensões de linha de carga estrela trifásica
Tensões de linha de carga estrela trifásica

Este post é de certa forma uma continuação do post anterior Correntes de linha e fase de carga DELTA | Circuitos Elétricos, onde discutimos as tensões e correntes de linha e de fase de uma carga delta trifásica. Lá as tensões de linha e de fase iguais, mas correntes de linha e de fase diferentes.

Para carga estrela, no entanto, ocorre o oposto: as correntes de linha e fase são iguais, mas as tensões de linha e fase são diferentes.

Vamos discutir como podemos calcular as tensões de linha a partir das tensões de fase e também como calcular as tensões de fase a partir das tensões de linha.

Continue lendo “Tensões de linha e fase de carga ESTRELA”

Correntes de linha e fase de carga DELTA

Circuitos trifásicos é um dos tópicos mais interessantes de circuitos elétricos de corrente alternada. Há dois tipos de carga para circuitos trifásicos: carga delta e carga estrela.

Neste post falaremos da carga delta, também chamada de carga triângulo, onde as cargas estão ligadas formando um triângulo, como mostra a figura abaixo.

Correntes de linha de carga delta trifásica
Correntes de linha de carga delta trifásica

Este post terá um post em sequência: Tensões de linha e fase de carga ESTRELA | Circuitos Elétricos, onde discutiremos as tensões e correntes de linha e de fase de uma carga estrela trifásica. Lá as tensões e correntes de linha e de fase funcionam de forma diferente.

Vamos discutir como podemos calcular as correntes de linha a partir das correntes de fase e também como calcular as correntes de fase a partir das correntes de linha.

Continue lendo “Correntes de linha e fase de carga DELTA”

Transformador delta aberto

Muitos livros de Máquinas Elétricas expõem a possibilidade de uso de transformadores “delta aberto”, “open delta” ou V-V e dão a limitação de potência dessa ligação que é 1/√3 ou 58%.

Apesar disso não é explicado de forma clara de onde vem esse valor específico. Também não fica bem esclarecido ao que essa proporção dada está relacionada.

Isso é importante pois há dois problemas ligeiramente diferentes a serem resolvidos com essa discussão. E eles têm duas respostas ligeiramente diferentes. O primeiro é um transformador trifásico que perde um enrolamento. O outro é o caso de dois transformadores monofásicos que alimentam uma carga trifásica.

Por isso, nesse post falaremos sobre esses casos específicos do funcionamento de transformadores.

Transformador delta e delta aberto
Transformador delta e delta aberto

Como exemplo, na figura acima vemos dois secundários de transformadores. O primeiro está ligado em delta (ou Δ). O segundo está ligado em delta aberto (ou V).

Vejamos os casos onde um transformador trifásico opera no modo delta aberto:

Continue lendo “Transformador delta aberto”

Comparadores Schmitt-trigger

O comparador é uma das peças mais importantes para os sistemas digitais. Ele tem a função de decidir se a entrada está em nível alto ou baixo, independente do sinal de entrada ser digital ou analógico.

Neste post veremos como comparadores Schmitt-trigger (comparadores com histerese) fazem uso de realimentação positiva para evitar ruídos de transição de estado.

Comparador Schmitt-trigger inversor e não-inversor
Comparador Schmitt-trigger inversor e não-inversor

Continue lendo “Comparadores Schmitt-trigger”

Realimentação positiva (positive feedback)

Realimentação positiva: algo importante, mas que pouco ouvimos falar.

Neste post discutiremos o que é a realimentação positiva, qual a relação com a realimentação negativa e com sistemas instáveis.

Nos próximos posts falaremos sobre comparadores Schmitt-trigger e como eles utilizam realimentação positiva.

Realimentação positiva
Realimentação positiva

Continue lendo “Realimentação positiva (positive feedback)”

Realimentação e degeneração de emissor

Degeneração de emissor

Algo que muito se ouve falar, mas pouco explica-se, é como funciona a degeneração de emissor em amplificadores com transistores e qual a relação disso tudo com realimentação.

No post anterior (Teoria: Transistor e amplificador de transcondutância) vimos o modelo de transistor de Ebers-Moll.

Neste post vemos como a degeneração de emissor realiza realimentação no transistor.

Inscreva-se em nossa lista de emails para ser avisado sobre novos posts em resumos semanais.

Amplificador emissor comum
Amplificador emissor comum

Continue lendo “Realimentação e degeneração de emissor”

Transistor e amplificador de transcondutância

Transistor como um amplificador de transcondutância

Neste post vamos conhecer o modelo de transistor de Ebers-Moll, como um amplificador de transcondutância. Para que no próximo post possamos explicar como funciona a realimentação em transistores com degeneração de emissor (resistor no RE no emissor).

Não esqueça de se inscrever em nossa lista de emails para ser avisado sobre novos posts em resumos semanais.

Transistor como amplificador de transcondutância
Transistor como amplificador de transcondutância

Continue lendo “Transistor e amplificador de transcondutância”

AMPOP inversor e Realimentação (feedback)

AMPOP inversor e realimentação

Hoje veremos o AMPOP na configuração inversora, um exemplo mais complexo sobre AMPOPs e realimentação.

Este é nosso terceiro post da série sobre realimentação. Se não viu, recomendo os posts anteriores Teoria: Realimentação (Feedback) e Teoria: AMPOP não-inversor e Realimentação (Feedback).

Não se esqueça de se inscrever em nossa lista de emails para ser avisado sobre novos posts em resumos semanais.

AMPOP inversor
AMPOP inversor

Continue lendo “AMPOP inversor e Realimentação (feedback)”

AMPOP não-inversor e Realimentação (feedback)

Realimentação e AMPOPs

Quando se trata de amplificador operacionais (AMPOP), realimentação é um dos princípios mais utilizados e, por isso, discutiremos a relação entre os dois neste post.

Este é o segundo post de uma série sobre realimentação, onde veremos sobre o AMPOP na configuração não-inversora. Se não viu, recomendo o post anterior Teoria: Realimentação (Feedback). No próximo post veremos o AMPOP na configuração inversora, que é um pouco mais complicada em relação ao funcionamento da realimentação.

Não se esqueça de se inscrever em nossa lista de emails para ser avisado sobre novos posts em resumos semanais.

AMPOP não-inversor
AMPOP não-inversor

Continue lendo “AMPOP não-inversor e Realimentação (feedback)”

Realimentação (feedback)

Realimentação

Um tema relativamente simples em seus conceitos básicos, mas que causa problemas nos estudos de eletrônica analógica, é a realimentação (feedback) em amplificadores.

Este é o primeiro de uma série de posts, onde veremos o básico sobre o assunto: como realimentar um amplificador. Seguiremos este com dois posts adicionais sobre AMPOPs nas configurações não-inversora (bem simples) e inversora (um pouco complexo).

Não se esqueça de se inscrever em nossa lista de emails para ser avisado sobre novos posts em resumos semanais.

Realimentação
Realimentação

Continue lendo “Realimentação (feedback)”

%d blogueiros gostam disto: